ūüö®Pol√≠cia Civil prende homem investigado por estupro √† filha surda-muda

 


A Pol√≠cia Civil, por meio da Delegacia de Pol√≠cia (DP) de Alto Para√≠so de Goi√°s, cumpriu hoje (02) mandado de pris√£o preventiva e de busca e apreens√£o em desfavor de um homem de 44 anos. Ele foi preso em S√£o Jo√£o D’Alian√ßa, na regi√£o da Chapada dos Veadeiros, onde reside.


O autor é investigado em dois inquéritos policiais pelos crimes de descumprimento de medida protetiva; tentativa de estupro de vulnerável; estupro em continuidade delitiva contra sua própria filha surda-muda e apropriação de benefícios de pessoa com deficiência.


As investiga√ß√Ķes tiveram in√≠cio ap√≥s den√ļncia feita pela ex-companheira do autor, uma mulher de 38 anos, que desconfiava que ele abusava da pr√≥pria filha deficiente do casal. A ex-companheira declarou √† Pol√≠cia Civil que inclusive j√° tinha encontrado papel higi√™nico manchado de sangue ao lado do m√≥vel da cama em que a v√≠tima dormia.


A filha do autor, 22 anos, pessoa com defici√™ncia, prestou declara√ß√Ķes em sede policial e confirmou que sofreu reiterados abusos sexuais por parte do pai, desde muito jovem. Al√©m disso, disse que, apesar de estar casada, ter sa√≠do de casa e estar gr√°vida, o autor continuava a estupr√°-la quando seu marido sa√≠a para o trabalho, al√©m de se apropriar do seu cart√£o de benef√≠cios da Previd√™ncia Social.

O investigado também descumpriu medida protetiva conferida à ex-companheira, bem como realizou investidas sexuais contra sua enteada, de apenas 13 anos de idade, contra quem teria praticado tentativa de estupro de vulnerável.


Ap√≥s representa√ß√£o da autoridade policial, o Poder Judici√°rio expediu mandado de pris√£o que foi cumprido ap√≥s diversas dilig√™ncias efetuadas pela equipe de policiais civis da DP de Alto Para√≠so. Ap√≥s as comunica√ß√Ķes de praxe, o preso foi recolhido na unidade prisional e encontra-se √† disposi√ß√£o da Justi√ßa. Ele ser√° indiciado pelos referidos crimes. A opera√ß√£o foi batizada como 1989 em raz√£o deste ser o ano em que a ONU promulgou a Declara√ß√£o dos Direitos da Crian√ßa.

Coment√°rios